Escolhas erradas

Tempo de leitura: 3 minutos

A história a seguir vem demonstrar a importância de nossas escolhas e as consequências de nossos atos.
Ainda antes do descobrimento das Américas pelos Espanhóis e Portugueses haviam povos nativos bastante organizados e prósperos. Nas terras do atual Peru havia a civilização INCA, cujo território se estendia ao sul até o Chile e ao norte até a região do atual Equador. Era um povo rico e com uma sociedade bem organizada. Ainda no século 15 havia um imperador poderoso de nome Huayna Capac, que conquistou um grande território e tornou-se poderoso. Os costumes dos Inca permitiam a poligamia mas o Imperador tinha sua família oficial. No entanto ele apaixonou-se pela princesa de Quito e com ela teve um filho ilegítimo de nome Atahualpa . Huayna Capac adoeceu e decidiu dividir o reino entre seu herdeiro legítimo Huascar e Atahualpa. O primeiro ficaria com as terras ao sul de Cusco, e o outro ao norte até Quito e além.
Huascar queria que o irmão se submetesse ao seu poderio, e do contrário Atahualpa intencionava dominar o irmão. Esse orgulho, aliado à ambição e inveja deflagrou a guerra dos dois irmãos, um evento que culminou com a morte de milhares de guerreiros, muita dor e sofrimento, ao final com a vitória de Atahualpa, que prendeu o irmão.
O império dos Incas se enfraqueceu, mas o novo imperador imaginava estar seguro. Ocorreu que naqueles dias surgiram homens estranhos com barba vindos de longe. Era Francisco Pizarro e seus homens.
Pizarro sabia que não tinha meios de vencer Atahualpa que contava com milhares de homens guerreiros, então forjou uma emboscada e prendeu o líder Inca. Este ofereceu um resgate por sua vida, muito ouro, prata e pedras preciosas. Enquanto o valor era recolhido por todo o império, Atahualpa mandou secretamente alguns homens matar o irmão, por julga-lo participante da emboscada. Após o pagamento, Pizarro alegou um motivo fútil para mandar executar Atahualpa em 1532, traindo sua palavra.
Esse foi o fim do império Inca, um povo organizado que poderia ter continuado a existir até hoje, não fossem as escolhas erradas de um poderoso líder que dividiu o reino entre dois irmãos, que se odiavam por serem de mães diferentes. Apesar disso, o orgulho, a cobiça e a impiedade destruíram milhares de vidas inclusive dos dois líderes irmãos. Até mesmo Pizarro foi assassinado em 1541 por motivo de brigas e inimizades com outros militares espanhóis. O ouro foi parar na Espanha e nada sobrou daquele povo.

The execution of the Inca/A.B. Greene. Spaniards burn Inca emperor Atahualpa at the stake; to the right is a monk holding a crucifix.

Podemos dizer que aqueles Incas não conheciam o Cristo verdadeiro e sua doutrina do amor, perdoar-lhes é mais fácil, mas os Espanhóis conheciam.
Podemos dizer que muitos outros depois deles fizeram atos ainda mais reprováveis, é fato.
A história, entretanto, não oculta a verdade.

Então que o homem de bem e inteligente de hoje aproxime-se das leis sábias do Criador, aprenda com o Evangelho a boa conduta e as consequências de seus atos, e construa uma vida plena de paz consigo mesmo e com todos os homens.

Deixe uma resposta